F2 - SUPORTE | WINDOWS

::Blog com dicas sobre informática::: , informática, apostilas, tutoriais, dicas, vídeo aulas, computadores, notebook, windows, linux, android, desktop, server, troubleshooting, TI, PC

Breaking

PESQUISE EM NOSSOS SITES

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Comandos DOS e Shell as diferenças






DOS       Linux                        Diferenças
     --------  ------------ --------------------------------------------------
     cls       clear        Sem diferenças.
     dir       ls -la       A listagem no Linux possui mais campos (as
                            permissões de acesso) e o total de espaço ocupado
                            no diretório e livre no disco deve ser visto
                            separadamente usando o comando du e df.
                            Permite também listar o conteúdo de diversos
                            diretórios com um só comando (ls /bin /sbin /...).
     dir/s     ls -lR       Sem diferenças.
     dir/od    ls -tr       Sem diferenças.
     cd        cd           Poucas diferenças. cd sem parâmetros retorna ao
                            diretório de usuário e também permite o uso
                            de "cd -" para retornar ao diretório anteriormente
                            acessado.
     del       rm           Poucas diferenças. O rm do Linux permite
                            especificar diversos arquivos que serão apagados
                            (rm arquivo1 arquivo2 arquivo3). Para ser mostrados
                            os arquivos apagados, deve-se especificar o
                            parâmetro "-v" ao comando, e "-i" para pedir
                            a confirmação ao apagar arquivos.
     md        mkdir        Uma só diferença: No Linux permite que vários
                            diretórios sejam criados de uma só vez
                            (mkdir /tmp/a /tmp/b...).
     copy      cp           Poucas diferenças. Para ser mostrados os arquivos
                            enquanto estão sendo copiados, deve-se usar a
                            opção "-v", e para que ele pergunte se deseja
                            substituir um arquivo já existente, deve-se usar
                            a opção "-i".
     echo      echo         Sem diferenças.
     path      path         No Linux deve ser usado ":" para separar os
                            diretórios e usar o comando
                            "export PATH=caminho1:/caminho2:/caminho3:"

                            para definir a variável de ambiente PATH.
                            O path atual pode ser visualizado através
                            do comando "echo $PATH".
     ren       mv           Poucas diferenças. No Linux não é possí­vel
                            renomear vários arquivos de uma só vez
                            (como "ren *.txt *.bak"). É necessário usar
                            um shell script para fazer isto.
     type      cat          Sem diferenças.
     ver       uname -a     Poucas diferenças (o uname tem algumas opções
                            a mais).
     date      date         No Linux mostra/modifica a Data e Hora do sistema.
     time      date         No Linux mostra/modifica a Data e Hora do sistema.
     attrib    chmod        O chmod possui mais opções por tratar as permissões
                            de acesso de leitura, gravação e execução para
                            donos, grupos e outros usuários.
     chkdsk    fsck.ext2    O fack é mais rápido e a checagem mais abrangente.
     scandisk  fsck.ext2    O fsck é mais rápido e a checagem mais abrangente.
     doskey    -----        A memorização de comandos é feita automaticamente pelo
                            bash.
     edit      vi, ae,      O edit é mais fácil de usar, mas usuário
             emacs, mcedit experientes apreciarão os recursos do vi ou
                            o emacs (programado em lisp).
     fdisk    fdisk, cfdisk Os particionadores do Linux trabalham com
                            praticamente todos os tipos de partições de
                            diversos sistemas de arquivos diferentes.
     format    mkfs.ext2    Poucas diferenças, precisa apenas que seja
                            especificado o dispositivo a ser formatado
                            como "/dev/fd0" ou "/dev/hda10" (o
                            tipo de identificação usada no Linux), ao
                            invés de "A:" ou "C:".
     help      man, info    Sem diferenças.
     interlnk  plip         O plip do Linux permite que sejam montadas
                            redes reais a partir de uma conexão via Cabo
                            Paralelo ou Serial. A máquina pode fazer tudo
                            o que poderia fazer conectada em uma rede
                            (na realidade é uma rede e usa o TCP/IP como
                            protocolo) inclusive navegar na Internet, enviar
                            e-mails, irc, etc.
     intersvr  plip         Mesmo que o acima.
     keyb      loadkeys     Sem diferenças (somente que a posição das
                            teclas do teclado pode ser editada.
                            Desnecessário para a maioria dos usuários).
     label     e2label      É necessário especificar a partição que terá
                            o nome modificado.
     mem       cat /proc/meminfo Mostra detalhes sobre a quantidade de dados
               top          em buffers, cache e memória virtual (disco).
     more      more, less   O more é equivalente a ambos os sistemas, mas
                            o less permite que sejam usadas as setas para
                            cima e para baixo, o que torna a leitura do
                            texto muito mais agradável.
     move      mv           Poucas diferenças. Para ser mostrados os arquivos
                            enquanto estão sendo movidos, deve-se usar a
                            opção "-v", e para que ele pergunte se deseja
                            substituir um arquivo já existente deve-se usar
                            a opção "-i".
     scan      -----        Não existem ví­rus no Linux devido as
                            restrições do usuário durante execução de
                            programas.
     backup    tar          O tar permite o uso de compactação (através do
                            parâmetro -z) e tem um melhor esquema de
                            recuperação de arquivos corrompidos que já
                            segue evoluindo há 30 anos em sistemas UNIX.
     print     lpr          O lpr é mais rápido e permite até mesmo
                            impressões de gráficos ou arquivos compactados
                            diretamente caso seja usado o programa
                            magicfilter. É o programa de Spool de
                            impressoras usados no sistema Linux/Unix.
     vol       e2label      Sem diferenças.
     xcopy     cp -R        Pouca diferença, requer que seja usado a
                            opção "-v" para mostrar os arquivos que
                            estão sendo copiados e "-i" para pedir
                            confirmação de substituição de arquivos.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário ou alguma sugestão, elogio, pedido.
Agradecemos.

Postagens mais visitadas

Minha lista de blogs

::::: VISITANTES :::::