Visite nossa loja virtual!!!!!

quarta-feira, 31 de março de 2010

-F2 - INFO: Limpando o computador

-F2 - INFO: Limpando o computador

Formatar ou não formatar, eis a questão?

Para quem depende de um técnico de computação para manutenção do seu computador é bom ficar atento a alguns detalhes. É muito comum você chamar um técnico para consertar algo simples, e ele responder de cara tem que formatar! Será mesmo que é necessária a formatação? Preste atenção a algumas dicas bem simples, mas que podem ser úteis na hora que houver essa dúvida.

Situações em que não é necessária a formatação do pc:

1. Meu computador está sem som?

Problema bem simples, mas que muitas vezes o computador é formatado não que o técnico não saiba, muito pelo contrario ele sabe sim, só que quer faturar então formata.

Na maioria das vezes esse problema é resolvido desinstalando e instalando novamente o drive de som. Por incrível que pareça, mas o problema pode ser também só no cabo que por algum motivo foi desconectado ou está frouxo atrás.

2. Aparece uma mensagem dizendo que meu Windows é pirata?

Nesse caso o problema é o WGA da Microsoft que é extremante fácil de retirar basta baixar o programa remove wga e usar pronto problema resolvido.

3. Não consigo acessar a Internet?

Nesse caso tem que ver o tipo de Internet, mas geralmente o problema ou é o provedor offline (fora do ar) ou problema no drive (remover e instalar novamente)

4. O computador ta muito lento?

Esse é o motivo mais usado para formatação, quando uma simples desfragmentação de disco é suficiente, ou no caso de spyware usar algum programa de remoção.

5. Está aparecendo mensagem de erro quando executo alguns programas?

Nessa situação usar programas de reparo de registro resolve em 90% dos casos um destes programas e que é muito bom é o Error Killer.

Situações em que é necessária a formatação:

1. O computador foi infectado por um vírus e mesmo após a remoção ainda aparece mensagem de erro do sistema.

2. O computador apresenta mensagens de erro freqüentes e nenhum programa de reparo de registro resolveu.

3. Eu quero mudar de sistema operacional.

Esse tópico serve apenas para o usuário ter uma noção sobre quando se deve ou não formatar o pc. Para saber mais é preciso estudar, consultar fórum, enfim não ficar apenas nessas informações porque quando se trata de computador todo caso é um caso.


Fonte: http://ossembandalarga.blogspot.com/2007/11/formatar-ou-no-formatar-eis-questo.html

Controlando os programas que são iniciados no seu computador

Sabe aquele programa que você instalou e toda vez que o windows é iniciado esse programa é carregado? Se isso te incomoda, então faça com que ele não seja mais carregado na inicialização do sistema. Para fazer isso há duas maneiras:

1º clique com o botão esquerdo do mouse em:
Inciar > todos os programas > inicializar


Depois é só escolher qual programa desta pasta você não quer que inicie junto com windows e excluir, para excluir é so clicar com o botão direito do mouse e depois clicar em excluir.

2º Se o método anterior não resolveu esse com certeza vai resolver.


Clique em Iniciar depois vá em Executar então digite msconfig irá aparecer a tela acima então é só ir até a aba inicializar escolher o programa e desmarca-lo ai clica em ok e sua maquina será então reiniciada sem que o programa inicialize na abertura do windows.

Pronto é uma dica bem fácil e que pode ser bastante útil, pois você fica conhecendo quais programas são iniciados junto com o windows.

Limpando o computador

Seu micro está sujo? Você está querendo fazer uma limpeza, mas não sabe por onde começar? Nesse post é explicado com detalhes como a limpeza de computadores deve ser feita. Todos os procedimentos descritos devem ser feitos com o micro desligado.

Vamos começar pelas duas peças mais usadas: o teclado e o mouse. Se o seu teclado não estiver muito sujo, você pode simplesmente passar um pincel grosso ou uma escova de dentes entre as teclas para limpá-lo. Mas se o seu teclado estiver com aspecto de encardido, então uma limpeza mais pesada é necessária. Você deverá remover as teclas do teclado e limpá-las uma-a-uma usando um pano embebido em detergente do tipo "multi uso". Antes de retirar as teclas do teclado, você deverá desenhar um mapa contendo a posição das teclas, para que você não perca tempo tentando adivinhar o local de cada tecla depois. A remoção das teclas pode ser feita usando uma chave de fendas pequena, empurrando a tecla para cima. A base do teclado, agora sem as teclas, deverá ser limpa com um pincel grosso ou uma escova de dentes. Você verá como a base do teclado acumula poeira, cabelo e pedacinhos de papel.

Para limpar o mouse, abra o seu compartimento inferior rodando a sua tampa no sentido anti-horário e, em seguida, remova a bolinha do mouse. Essa bola deve ser limpa com o auxílio de um pano embebido em detergente do tipo "multi uso". Já no interior do mouse você deve limpar os roletes existentes. Você verá uma quantidade enorme de sujeira grudada nesses roletes. Use uma chave de fendas pequena ou mesmo a tampa de uma caneta esferográfica para remover totalmente esta sujeira. Muita dessa sujeira cairá dentro do mouse, por isso antes de colocar a bola de volta e tampar o mouse, você deverá sacudi-lo para que toda a sujeira que caiu dentro do mouse saia.

O gabinete do seu computador deve ser limpo com um pano embebido com detergente do tipo "multi uso" ou então com pasta de limpeza branca. Pela nossa experiência, aquela pasta de limpeza que camelôs vendem na rua e chegam a limpar pedras portuguesas da rua ou o mármore presente na entrada de edifícios para demostrar a eficiência do produto é a melhor, por incrível que pareça.

Chegamos agora à parte mais trabalhosa: limpar o interior do micro. Antes de abrir o computador, remova o cabo de força da tomada. O grosso da poeira existente você pode limpar usando um pincel grosso ou uma escova de dentes. Se o interior do micro estiver muito sujo, remova todas as placas e cabos para poder fazer a limpeza com mais eficiência. Não se esqueça de observar bem a posição dos cabos para que você consiga depois montar o micro de volta.

Os contatos de borda (conectores dourados) das placas e módulos de memória você deve limpar com uma borracha branca, "apagando" a sujeira. Isso deve ser feito longe do micro, para que os resíduos da borracha não caiam dentro do gabinete.

Já os slots e conectores da placa-mãe ? incluindo o soquete do processador ? você deve limpar usando uma escova de dentes embebida em álcool isopropílico. Não use álcool comum, pois ele tem uma alta concentração de água que pode acabar por oxidar os componentes do micro. O ideal para este procedimento é que você retire a placa-mãe de dentro do micro. Se a placa-mãe estiver realmente imunda, você pode inclusive dar um banho nela usando álcool isopropílico.

Por fim, limpe as ventoinhas existentes ? processador, placa de vídeo e fonte de alimentação ? com um pincel ou escova de dentes. Se as ventoinhas estiverem com muita poeira, você terá de desmontá-las para limpá-las corretamente.

Fonte: Clubedohardware

terça-feira, 30 de março de 2010

Guia Completo para começar a usar o Windows XP Mode, no Windows 7

Como configurar/instalar/usar:
É necessário possuir um computador com processador com suporte a Intel® Virtualization Technology ou AMD-V™ :
“ A Tecnologia de Virtualização Intel (Intel VT), de nome de código Vanderpool é um método no qual sistemas operacionais baseados na plataforma x86 são executados sob outro sistema operacional x86 hospedeiro, com pouca ou nenhuma modificação do sistema hóspede. Seu funcionamento é semelhante a uma máquina virtual, mas implementada em hardware. Não deve ser confundido com hyper-threading, no qual são simulados dois processadores para o mesmo sistema operacional. “
Para maiores informações:
http://en.wikipedia.org/wiki/X86_virtualization
———————————————————————————————-
É necessário possuir uma cópia do Windows 7 RC. Até algum tempo atrás a própria Microsoft disponibilizou o download a partir de seu próprio site, porém não sei se ainda está disponível.
Neste caso, se não me engano este recurso não estará disponível em todas as versões, acredito que as versões Home/Home Basic/Starter não possuam este recurso.
Após instalado o Windows 7, é necessário realizar o download do Virtual PC+Windows XP mode, a partir do link abaixo:
http://www.microsoft.com/windows/virtual-pc/download.aspx
Após o download, instale o Virutal PC no Windows 7, na realidade é instalado como um update do Windows, então acredito que futuramente esteja disponível como uma atualização extra para quem desejar utilizar este recurso:
1_50
Execute o arquivo “WindowsXPMode_en-us.exe” para instalar o modo XP no Windows 7, neste caso, ele é um executável normal, e a instalação é bastante simples:
Instalando XP Mode
Instalando XP Mode
Após copiado os arquivos será aberta uma tela sobre o “Acordo de Licença”:
Termo de Licença
Termo de Licença
Após aceitar os termos, ele pede em qual pasta deseja guardar os arquivos (na realidade ele irá gerar uma arquivo com extensão “vmcx”, que é uma imagem de uma máquina virtual com o Windows XP), este arquivo é dinâmico, ou seja, a medida em que você vai instalando programas e arquivos, este arquivo terá seu tamanho aumentado. Não realizei o teste, mas pelo que consta no site após instalado ocupa 15 Gb! de espaço em disco, não cheguei a verificar se ocupa tudo isso mesmo…!!!
É necessário também criar um usuário e senha para utilizar o Windows XP, da mesma maneira que é necessário criar um usuário quando vai se instalar o Windows XP em uma máquina convencional.
Colocando uma senha para o usuário padrão.
Colocando uma senha para o usuário padrão.
Da mesma maneira de quando instalamos o XP pela primeira vez, o instalador pergunta como desejamos realizar as atualizações do sistema operacional:
Definindo como serão realizadas as atualizações do Windows XP
Definindo como serão realizadas as atualizações do Windows XP
Ao clicar em “Start Setup”, o Windows XP é “instalado” dentro do Windows 7, a instalação foi bem rápida:
Configurando do XP Mode para o primeiro uso..
Configurando do XP Mode para o primeiro uso..
INICIALIZANDO A MÁQUINA VIRTUAL:
- Após a instalação, é possível acessar o recurso de diversas formas, como eu disse antes, gostei da facilidade de uso. Uma delas é através do menu “Iniciar” – Windows Virtual PC”, e clicando em “Windows XP Mode”:
Acessando a Máquina Virtual (Virtual PC)
Acessando a Máquina Virtual (Virtual PC)
Será exibida uma barra, descrita como “Starting Virtual Machine”:
Barra de Carregamento da máquina virtual
Barra de Carregamento da máquina virtual
Logo em seguida, o Windows XP já carregado dentro do Windows 7:
Windows XP carregado dentro do Windows 7
Windows XP carregado dentro do Windows 7
O que achei interessante é a facilidade de uso, ao abrir a opção “Manage Virtual Machines”, no menu “Iniciar”, é exibida uma tela com uma pasta que é criada dentro do perfil de usuário com as máquinas virtuais disponíveis, na qual é possível ver quais estão rodando, criar novas máquinas virtuais, ou ainda, mudar as opções daquela que você criou:
Opções da Máquina virtual com o XP.
Opções da Máquina virtual com o XP.
Dentro da máquina virtual do XP, é mapeado automaticamente a unidade de CD/DVD, e os drives do equipamento. Em uma máquina virtual normal é necessário instalar extensões, escolher as pastas que quer compartilhar para daí ter acesso as pastas do sistema principal. No Virtual PC do Windows 7 ele mapeia automaticamente as unidades, não sendo necessário nenhum tipo de configuração:
As unidades são mapeadas automaticamente como unidades de rede no Windows XP, facilitando o acesso aos arquivos.
As unidades são mapeadas automaticamente como unidades de rede no Windows XP, facilitando o acesso aos arquivos.
Não realizei muitos testes a mais por enquanto, porém achei uma opção interessante para rodar aplicativos que usualmente não rodam corretamente no Windows 7 (eu mesmo tenho uns simuladores da CISCO que não carregam corretamente e no “Xp Mode”, rodam perfeitamente como se estivessem no Windows XP).
O Virtual PC possui diversas opções como por exemplo, escolher quanto de memória irá utilizar a máquina virtual, escolher arquivos de imagem de Cd para carregar na unidade de CD do sistema, etc..
Por padrão, quando fecha a máquina virtual ele coloca o XP para hibernar, mas esta opção pode ser trocada a partir das opções do Virtual PC. Para quem quiser se aprofundar mais no assunto, existe bastante material na internet sobre como utilizar o Virtual PC, basta pesquisar!!
Características:
PRÓS:
- Facilidade de uso
- Facilidade de instalação
- Rodou perfeitamente, sem necessidade de nenhuma configuração adicional (bom desempenho)
- Possibilidade de rodar outros sistemas com facilidade (não só o Windows XP)
CONTRAS:
- Nada de muito novo, nada mais é do que o Virtual PC com o XP instalado;
- Não é algo indispensável, de acordo com testes, a maioria dos programas já roda perfeitamente no Windows 7 sem problemas de compatibilidade, além disso, tem o modo de compatibilidade para execução de programas que geralmente funciona bem.


Fonte: http://paulogr.wordpress.com/2009/08/11/instalando-e-usando-o-windows-xp-mode-dentro-do-windows-7
Twiter autor: www.twiter.com/paulocg

Um breve tutorial para você aprender a instalar os fios do painel frontal do computador.



Uma parte pequena, mas não menos importante da instalação de um computador é composta pelo painel frontal do gabinete. Estes fios nem sempre são padronizados e apenas os fios básicos costumam estar identificados na placa mãe. De qualquer forma, para uma instalação completa, você vai precisar do manual da placa.

Instalando os botões principais e seus respectivos leds
Vamos começar pelos fios “principais”. Primeiramente, localize os fios presentes no painel frontal de seu gabinete. Por padrão, os mais comuns costumam ser o do Power, Reset, Led do Power e Led do Disco Rígido (HDD). Na figura abaixo, eles estão identificados como Power SW, Reset SW, Power LED (+ e -) e HDD LED.
Conectores da chave power, reset e seus respectivos leds.
Em seguida, procure na placa mãe de seu computador os conectores nos quais estes fios devem ser plugados. Se não houver uma identificação na placa, procure-a no manual.
Imagem dos conectores frontais em uma placa mãe
Feito isto, basta ligar os fios em seus respectivos conectores na placa mãe (normalmente o lugar de encaixe está identificado na placa mãe). Algumas placas possuem cores variadas em seus conectores, mas nem sempre isto pode ser levado em conta, pois na maioria dos casos estas cores não coincidem com as dos fios do gabinete.
Fios power, reset e leds devidamente conectados na placa mãe
Lembre-se de dispensar uma atenção especial à polaridade dos fios, conectando conforme a marcação de positivo e negativo (+ e -) na placa mãe. Fios brancos e pretos costumam ser negativos, mas em caso de dúvidas é sempre recomendado verificar no manual do gabinete.
Instalando portas USB
Os gabinetes normalmente possuem duas portas USB no painel frontal e eles costumam estar dispostos como um conector de 9 ou 10 pinos na placa mãe. Para conectá-las corretamente, como não há uma padronização, você precisa ter em mãos o manual da placa mãe.
A partir do painel frontal do gabinete, você encontrará oito fios relacionados com as portas USB e cada uma delas utiliza quatro fios e eles podem tanto vir em pares quanto separados para garantir compatibilidade entre modelos de placa mãe. Lembre-se que caso o gabinete possua mais (ou menos) do que duas portas USB frontais, esta quantidade de fios também será diferente.
Para facilitar seu trabalho, separe os fios em grupos. Abaixo, eles estão separados em 1 (VCC1, Data 1-, Data 1+ e GND1) e 2 (VCC2, Data 2-, Data 2+ e GND2).
Fios de duas entradas USB frontais
Em seguida, basta instalá-los nos conectores da placa mãe.
Exemplo dos conectores para USB em uma placa mãe
Estes pinos ao contrário dos que foram explicados anteriormente, não costumam ter seu lugar identificado na placa mãe e você precisará do manual para efetuar a conexão de forma correta.
Cabos USB devidamente conectados na placa mãe
No exemplo utilizado, eles seriam conectados nesta disposição (isto é apenas um exemplo, e varia conforme a placa!):
Conforme mostrado no manual, disposição dos pinos USB
Instalando microfones e alto-falantes
Os gabinetes mais novos, além dos botões e leds principais e portas USB costumam ter uma entrada de microfone e saída para fone de ouvido (ou alto-falante). O conjunto será composto por uma quantidade variando de sete a nove fios.
Abaixo, serão especificadas algumas dicas para facilitar seu trabalho na localização dos conectores e fios, porém a instalação destes cabos é um pouco mais complexa e você precisa do manual da placa mãe para saber exatamente o local no qual eles devem ser conectados.
Localize na placa mãe o local que contém os conectores corretos para esta função. Eles costumam estar identificados com a palavra “Audio” (no exemplo abaixo, “JAUDIO”). Se existirem "jumpers", pode ser necessário a remoção destes.
Conectores de áudio frontais em uma placa mãe
Então, você deve localizar os fios vindos do gabinete e observar a função de cada um deles (escrita nos conectores pretos em suas pontas). O restante é literalmente composto por conectar cada fio em seu respectivo conector na placa mãe, como indicado pelo manual. No exemplo utilizado, eles seriam conectados nesta disposição (isto é apenas um exemplo, e varia conforme a placa!):
Exemplo da disposição dos pinos para conectores frontais de audio  em uma placa mãe

quarta-feira, 24 de março de 2010

Reparando o windows 7

O sistema ta bonzinho, ta Belo, mas vamos ao que te interessa. Por que o quando o sistema trava, é gente (Ghostbustes!!!) que mete a mão para resolver.

Bem os comandos básicos do prompt são os mesmos (mais meus cabelos quanta diferença), cmd, dir, shutdown, chkdsk... então da suporte ao “7” é igual Xp ou vista, só que como no vista a coisa pode ser acessada mais facilmente (será?).
Apertando F8 antes da gloriosa inicialização do Windows, vai encontrar aquele menu clássico, e na 1º primeira opção você terá o “Repair You Computer”.
Ao clicar nessa opção, entrara num ambiente gráfico com algumas opções de reparo, com algumas ferramentas legais, na primeira tela você deve selecionar a linguagem do teclado e não se preocupe com “ç”, pois você não precisara dele, então se você estiver com teclado ABNT2, pode tranquilamente colocar ABNT.
Na segunda tela você selecionara o usuário e senha.
E logo depois aparece o menu de reparo, com as opções: “Startup Repair”, para reparar a inicialização do sistema, “system Restore”, para você trabalhar com os pontos de restaurações, “System Image Recovery”, que recupera a partir de uma imagem do sistema que pode estar numa pendrive ou num DVD, “Windows Memory Diagnostic”, um aplicativo para testar a memória, semelhante ao mentest, e por ultimo nosso velho amigo Prompt, onde você pode mandar um “check disk”.
Tela utilitário de para verificar a memória
é melhorou bastante!, antigamente era o "disquetão" de boot, ou um cd, com "Bart'pe", um cd boot win, ou formatar a M... toda. claro com todo respeito, e ai o que vocês acham?

segunda-feira, 22 de março de 2010

Existe vida após o delete?





Será possível resgatar arquivos de um HD formatado, fotos apagadas das câmeras digitais, arquivos deletados da lixeira, será que os arquivos são realmente apagados após o delete? A resposta para todas essas dúvidas é NÃO, os arquivos não são apagados, e é possível sim a sua recuperação.
Na internet existem dezenas de programas capazes de recuperar arquivos deletados seja de um: HD, pen drive, câmera digital, mp3 player ou qualquer outro dispositivo capaz de armazenar dados. Muitas pessoas já passaram por essa situação incomoda que é ter seus arquivos apagados e achar que não é possível a recuperação, mas aqui vai algumas dicas que vão ajudar e muito a solução desse problema.
A primeira coisa é não gravar nada no dispositivo onde os dados foram perdidos. Ex: se foi um HD não digite e salve nada, não instale programas, enfim nada pode ser gravado sob pena de gravar por cima do que foi apagado. Segundo instale o programa em local diferente de onde foi apagado os dados, caso seja no HD você precisa dispor de outro. Seguido estes passos é só instalar o programa, depois selecionar o dispositivo que teve os dados apagados e mandar restaurar. Pronto todos seus arquivos serão restaurados.
Mesmo que você não siga a risca essas instruções mesmo assim ainda terá alguns dados recuperados, quanto aos programas existem aos montes na internet tipo: Recuva, Smart Data Recovery, PC Inspector File Recovery, etc. É só escolher um e mãos a obra. 

Reparando HD





Encontrei um texto bem interessante em um forum sobre reparo de HD como esses é um problema que aflige muitos usuários de PC (defeito no HD) então resolvi compartilhar esse texto muito bem escrito os créditos ao autor e ao site são citados no final.


COMO RECUPERAR HD´S DEFEITUOSOS


Para muitos, o pior pesadelo seria o HD do micro de trabalho, com todos os arquivos importantes simplesmente parasse de funcionar, ou então que os dados fossem apagados por um virus ou semelhante.
A melhor prevenção contra este tipo de acidente ainda é o bom e velho backup, mas, caso o estrago já tenha sido feito, ou melhor, os dados já tenham sido perdidos, e não exista nem sombra de um backup atualizado, confira neste tutorial algumas dicas para recuperar dados. Tanto arquivos deletados ou HDs formatados, quanto HDs que simplesmente pararam de funcionar.

:. Como um HD funciona
Antes de mais nada, aqui está um pouco de teoria de como funciona um HD atual, estes conhecimentos são importantes para as dicas a seguir.
Dentro do disco rígido, os dados são gravados em discos magnéticos, chamados em Inglês de platters. O nome ?disco rígido? vem justamente do fato dos discos internos serem lâminas metálicas extremamente rígidas. Os platters são compostos de duas camadas.
A primeira é chamada de substrato, e nada mais é do que um disco metálico, geralmente feito de ligas de alumínio. Este disco é polido em salas limpas, para que se torne perfeitamente plano. A fim de permitir o armazenamento de dados, este disco é recoberto por uma segunda camada, agora de material magnético. A aplicação da camada magnética é feita dos dois lados do disco.
Como a camada magnética tem apenas alguns mícrons de espessura, é recoberta por uma fina camada protetora, que oferece alguma proteção contra pequenos impactos. Esta camada é importante, pois apesar dos discos serem encapsulados em salas limpas, eles internamente contêm ar, com pressão semelhante à ambiente. Como veremos adiante, não seria possível um disco rígido funcionar caso internamente houvesse apenas vácuo.
Os HDs são hermeticamente fechados, a fim de impedir qualquer contaminação proveniente do meio externo, porém, nunca é possível manter um ambiente 100% livre de partículas de poeira. Um pequeno dano na camada protetora não interfere no processo de leitura/gravação, que é feito de forma magnética.
Os discos são montados em um eixo também feito de alumínio, que deve ser sólido o suficiente para evitar qualquer vibração dos discos, mesmo a altas rotações. Este é mais um componente que passa por um processo de polimento, já que os discos devem ficar perfeitamente presos e alinhados.
Finamente, temos o motor de rotação, responsável por manter uma rotação constante. O motor é um dos maiores responsáveis pela durabilidade do disco rígido, pois a maioria das falhas graves provêem justamente do motor.
Os HDs mais antigos utilizavam motores de 3.600 rotações por minuto, enquanto que atualmente, são utilizados motores de 5.600 ou 7.200 RPM, que podem chegar a mais de 10.000 RPM nos modelos mais caros. A velocidade de rotação é um dos principais fatores que determinam a performance.
Para ler e gravar dados no disco, usamos cabeças de leitura eletromagnéticas (heads em Inglês) que são presas a um braço móvel (arm), o que permite seu acesso a todo o disco. O braço de leitura é uma peça triangular feita de alumínio ou ligas deste, pois precisa ser ao mesmo tempo leve e resistente. Um dispositivo especial, chamado de atuador, ou ?actuator? em Inglês, coordena o movimento das cabeças de leitura.
Nos primeiros discos rígidos, eram usados antiquados motores de passo para movimentar os braços e cabeças de leitura. Porém, além de muito lentos, eles eram muito susceptíveis a problemas de desalinhamento, além de não serem muito confiáveis. Os discos contemporâneos (qualquer coisa acima de 40 MB) utilizam um mecanismo bem mais sofisticado para esta tarefa, justamente o actuator, composto por um dispositivo que atua através de atração e repulsão eletromagnética. Basicamente temos dois eletroímãs, um de cada lado do braço móvel. Alterando a intensidade da corrente elétrica e, consequentemente a potência de cada imã, o braço e consequentemente as cabeças de leitura se movimentem. Apesar de parecer suspeito, esse sistema é muito mais rápido, preciso e confiável que os motores de passo.


Outro dado interessante é a maneira como as cabeças de leitura lêem os dados, sem tocar na camada magnética. Se você tiver a oportunidade de ver um disco rígido aberto, verá que, com os discos parados, as cabeças de leitura são pressionadas levemente em direção ao disco, tocando-o com uma certa pressão. Porém, quando os discos giram à alta rotação, forma-se uma espécie de colchão de ar (pois os discos são fechados hermeticamente, mas não à vácuo, temos ar dentro deles). Este colchão de ar repele a cabeça de leitura, fazendo com que fique sempre a alguns mícrons de distância dos discos, é mais ou menos o mesmo princípio utilizado nos aviões.
Veja que enquanto o HD está desligado, as cabeças de leitura ficam numa posição de descanso, longe dos discos magnéticos. Elas só saem dessa posição quando os discos já estão girando à velocidade máxima. Para prevenir acidentes, as cabeças de leitura voltam à posição de descanso sempre que não estão sendo lidos dados, apensar dos discos continuarem girando.
É justamente por isso que às vezes ao sofrer um pico de tensão, ou o micro ser desligado enquanto o HD é acesso, surgem setores defeituosos. Ao ser cortada a energia, os discos param de girar e é desfeito o colchão de ar, fazendo com que as cabeças de leitura possam vir a tocar os discos magnéticos.
Para diminuir a ocorrência deste tipo de acidente, nos HDs modernos é instalado um pequeno imã em um dos lados do actuator, que se encarrega de atrair as cabeças de leitura à posição de descanso, toda vez que a eletricidade é cortada (tecnologia chamada de auto-parking). A camada de proteção dos discos magnéticos, também oferece alguma proteção contra impactos, mas mesmo assim, às vezes os danos ocorrem, resultando em um ou vários setores defeituosos, por isso, é sempre bom desligar o micro apenas na tela ?o seu computador já pode ser desligado com segurança? do Windows.

:. A placa controladora
Todo o funcionamento do disco rígido, a movimentação da cabeça de leitura, a velocidade de rotação, a leitura e gravação dos dados, o envio e recebimento de dados através da porta IDE, etc. é coordenado pela placa controladora. Nos HDs mais antigos, a placa controladora era uma placa separada, conectada a um slot ISA e ligada ao HD por dois cabos de dados. Este arranjo era muito ineficiente, pois a distância tornava a comunicação muito susceptível a interferências e corrupção de dados.
A partir do advento dos discos IDE, a placa controladora passou a fazer parte do próprio disco rígido. Nada mais lógico, pois a placa controladora precisa ser construída de acordo com a arquitetura física do disco, e jamais funcionaria em outro modelo, sendo assim, não existiria motivo para mante-los separados. Além da praticidade, este arranjo permite uma comunicação de dados muito mais eficiente, já que são usados cabos muitos mas curtos. É por isso que não dizemos ?controladora IDE? e sim ?interface IDE?, pois ela funciona apenas como um meio de comunicação, já que a controladora faz parte do próprio disco rígido.

:. Os defeitos mais comuns
Como você viu, os HDs atuais ainda baseiam-se em componentes mecânicos, que não são tão confiáveis quanto componentes eletrônicos, um processador por exemplo.
Os problemas físicos mais comuns nos HDs são em primeiros lugar, os setores defeituosos, que surgem depois de piscadas na energia elétrica, ou mesmo pelo envelhecimento da mídia. Os setores defeituosos não podem ser corrigidos, mas podem ser marcados, para que o restante do HD pode continuar sendo usado.
Outro defeito comum, desta vez mais grave, é quando o motor de rotação do HD simplesmente para de funcionar, neste caso os discos não giram, o HD não é mais reconhecido no Setup, simplesmente \"morre\".
Outra possibilidade são os erros de posicionamento nas cabeças de leitura. Isto acontece quando por qualquer motivo, a controladora não consegue detectar a posição das cabeças de leitura sobre os discos magnéticos. Este defeito é comum em HDs antigos, onde os sinais magnéticos que permitem a identificação já estão mais fracos. Neste defeito, o HD gira, mas você ouvirá alguns clicks, e ele não será reconhecido no Setup.
Apesar de ser mais raro, a culpada também pode ser a placa controladora do HD. Neste caso a gama de problemas é grande. Pode ser que o HD simplesmente \"morra\", que os discos girem, mas o HD não seja reconhecido no Setup, nem funcione de forma alguma, etc. Pegue uma lupa e examine a placa lógica em busca de capacitores ou chips queimados, contatos rompidos, que possam ser responsáveis pelos defeitos.

:. O HD pifou, e agora?
Sem dúvida, esta não é uma experiência muito agradável não é mesmo? Existem companias especializadas em recuperação de dados de HDs com defeito, algumas equipadas com salas limpas e outros tipos de equipamentos, o grande problema é o preço deste tipo de trabalho, que facilmente pode ultrapassar os 2000 reais. Além disso, nunca existe garantia de que os dados realmente serão recuperados. Se você prefere tentar você mesmo, a seguir vão algumas dicas úteis:

:. Os dados foram apagados mas o HD funciona
O modo através do qual os dados são gravados no disco rígido, permite que praticamente qualquer dado anteriormente apagado possa ser recuperado. Na verdade, quando apagamos um arquivo, seja através do DOS ou do Windows Explorer, é apagada apenas a referência a ele na FAT, a tabela gravada no início do disco rígido que armazena a localização de cada arquivo no disco.
Com o endereço anteriormente ocupado pelo arquivo marcado como vago na FAT, o sistema operacional considera vaga a parcela do disco ocupada por ele. Porém, nada é realmente apagado até que um novo dado seja gravado subscrevendo o anterior. É como regravar uma fita K-7: a música antiga continua lá até que outra seja gravada por cima.
O Norton Utilities possui um utilitário, chamado ?Rescue Disk?, que permite armazenar uma cópia da FAT em disquetes. Caso seu HD seja acidentalmente formatado por um vírus, ou por qualquer outro motivo, você poderá restaurar a FAT com a ajuda destes discos, voltando a ter acesso a todos os dados como se nada tivesse acontecido.
Além do Norton, existem vários outros programas extremamente amigáveis especializados em recuperação de dados, mesmo caso não exista backup algum da FAT. A Ontrack tem o seu Easy Recovery (chamado de Tiramissu, em versões anteriores) com versões para Fat 16, Fat 32, NTFS, Novel Netware e discos Zip/Jaz. Estes programas são capazes de recuperar arquivos apagados, ou mesmo um HD inteiro vítima da ação de vírus, mesmo que qualquer vestígio da FAT tenha sido apagado. Ele faz isso baseando-se nas informações no final de cada cluster, e baseado em estatísticas. Realmente fazem um bom trabalho, recuperando praticamente qualquer arquivo que ainda não tenha sido reescrito. Estes não são exatamente programas baratos. A versão Personal, custa 179 dólares, enquanto a Professional, que oferece alguns recursos avançados, custa absurdos 489 dólares. Existe uma demonstração gratuíta que apenas mostra os arquivos que podem ser recuperados (como são generosos não é mesmo...) Os programas podem ser comprados em: http://www.ontrack.com/
Na mesma categoria, temos também o Lost and Found da Power Quest. O modo de recuperação é bem parecido com o usado pelo Easy Recovery, e a eficiência também é semelhante, sua vantagem é ser bem mais barato, e ter versão em Português. Existe ainda um demo que pode ser baixado gratuitamente. Informações disponíveis em http://www.powerquest.com.br/
Usando qualquer um dos dois programas, a chance de recuperar dados que ainda não tenham sido reescritos é muito grande, isso caso o HD não tenha nenhum defeito de hardware claro.
Mais uma dica é que alguns vírus podem bloquear o acesso ao HD, fazendo com que você não consiga acessa-lo nem mesmo usando um disco de boot. Neste caso, dê boot via disquete e use o comando FDISK /MBR, isto zera o setor de boot do HD. Em seguida, passe uma antivírus atualizado. Pode ser que você nem precise do programa de recuperação de dados.

:. O HD não é sequer detectado pelo BIOS
Existe um truque que costuma dar certo, e vale à pena tentar primeiro pois não traz riscos. Coloque o HD dentro de um plástico hermeticamente fechado e deixe no Freezer por 4 horas ou mais. Parece estranho, mas tem sua lógica, o frio altera a posição das marcas magnéticas nos discos (contração do material) e alguns componentes do HD funcionam melhor a baixas temperaturas. Reinstale rapidamente o HD, cruze os dedos. Existem uma possibilidade razoável dele voltar a funcionar durante alguns minutos, tempo suficiente para fazer uma cópia dos dados mais importantes e aposenta-lo definitivamente. Por incrível que pareça, isso também costuma funcionar com CDs riscados que não lêem mais.
Experimente também passar no site do fabricante e configurar o HD manualmente no Setup, dando o número de trilhas, setores e cilindros, como nos micros antigos, resolve em alguns casos raros. Experimente também dar boot usando um disquete com o boot manager do fabricante, muitas vezes ele é capaz de acessar o drive, mesmo sem ter sido reconhecido pelo BIOS.
Se você ouvir o ruído dos discos girando, seguido de um \"click\", \"click\", \"click\", significa que a placa lógica está tentando posicionar as cabeças de leitura, mas não está conseguindo. Este defeito é comum em HD antigos. Experimente apoiar o HD sobre uma mesa, na vertical e dar um tapinha sobre o lado superior. Um tapinha leve, pois como os HDs estão girando um tranco mais forte pode danificar os discos magnéticos e aí que os dados não vão mais ser recuperados mesmo.
Lembre-se que sempre, seja usando um programa de recuperação, seja usando algumas das outras dicas, você precisará manter um segundo HD instalado para onde possa copiar os dados.

:. O HD \"morreu\", nem ouço o ruído dos discos girando
Neste caso, existem duas hipóteses, o motor de rotação não está girando ou existe algum defeito grave na placa lógica. Comece testando as voltagens do plugue alimentação, só para eliminar a possibilidade de defeitos na fonte. Também experimente instala-lo na segunda controladora IDE ou em outro micro, verificar o jumpeamento, o cabo IDE, etc. Apenas para eliminar estas possibilidades mais banais.
Em seguida, examine a placa lógica do HD em busca de algum dano visível. Tente descobrir também as circunstâncias em que o HD parou de funcionar.
O motor de rotação do HD não para de uma vez, é como um cooler, que vai perdendo potência gradualmente. Se o problema for mesmo no motor de rotação, experimente dar um tapinha no HD, cerca de 2 ou 3 segundos após ligar o micro. Na maioria dos casos, o motor volta a girar com o \"tranco\". Como no caso anterior, recupere imediatamente os dados que forem importantes, pois ele pode voltar a falhar.
Se o tapinha não funcionar, você pode tentar um tapa um pouco mais forte, ou mesmo usar algum objeto, o cabo de uma chave de fenda por exemplo. Como os discos não estão girando, a possibilidade de \"terminar de danificar o drive\" são pequenas. Desde que os impactos estejam dentro do razoável claro, não adianta bater com uma marreta
Outra coisa, que às vezes dá certo é segurar o HD e gira-lo rapidamente, no sentido anti-horário logo após ligar o micro. Este é o sentido de rotação dos discos. Caso tenha sorte, a lei da inércia se encarregará de dar o \"empurrãozinho\" que o motor de rotação precisa.
Se for encontrado algum defeito na placa lógica, trilhas quebradas, capacitores queimados, algum CI que explodiu, etc. etc. as opções são tentar corrigir o defeito, caso seja simples, ou então tentar encontrar outro HD de mesma marca e modelo e pegar \"emprestada\" a placa lógica. Recupere os dados, devolva a placa ao doador e aposente o HD defeituoso.

:. Não tenho mais nada a perder, mais alguma sugestão?
As dicas a seguir devem ser usadas apenas após ter esgotado todas as anteriores, pois permitirão fazer o HD funcionar por mais alguns minutos ou horas, tempo suficiente para fazer uma cópia dos dados importantes, mas, em troca, o HD será definitivamente condenado. Depois deste último fôlego servirá no máximo para fazer um relógio de parede Mas, se você acha que não tem mais nada a perder, está ponto de arrancar os cabelos e jogar o finado HD pela janela, vamos lá:
O último recurso para tentar recuperar os dados é abrir o HD. Tente fazer isso num ambiente com o ar mais limpo possível. De qualquer forma, o HD estará condenado apartir do momento que abri-lo. A poeira que entrar começará a lentamente destruir os discos magnéticos. Mas, antes disso você terá tempo de recuperar os dados.
Depois de aberto, ligue o cabo de força e o cabo flat. Ligue o micro e veja que é o comportamento do HD. Se ele não estiver girando, use o dedo para dar um empurrãozinho, se o motor estiver desgastado, isto fará com que ele gire. Com isto bastará reconhece-lo no Setup e recuperar os dados. Toque o dedo no eixo de rotação, e não nos discos magnéticos.
Se os discos estiverem girando, mas as cabeças de leitura estiverem fazendo o click, click, click, como no exemplo anterior, peque uma caneta, ligue o micro e empurre o braço de leitura cerca de 2 segundos após ligar o micro. Na maioria dos casos, isto fará a placa lógica se achar\" e prosseguir com o boot. Novamente, faça backup o mais rápido possível.
Lembre-se que os dados ficam armazenados nos discos magnéticos do HD, o resto do mecanismo tem a função de dar acesso aos dados gravados. Uma possibilidade é sempre encontrar um outro drive do mesmo modelo, abrir ambos e trocar os discos magnéticos. Com isto o HD \"bom\" será aproveitado para ler os dados armazenados nos discos do HD ruim. Claro que isto deve, ou deveria ser feito dentro de uma sala limpa, o velho problema da poeira. Mas, se não for possível enviar o HD para nenhuma compania especializada, e não houver possibilidade de encontrar uma sala limpa, você pode, em último caso tentar fazer isto sem o uso da sala, claro, que como no caso anterior, será só o tempo de fazer backup dos dados.

Autor: Scofield
Site: Forum do Brasil Torrents

Problemas Frequentes no PC e Soluções





Alguns problemas no micro são relativamente fáceis de se resolver não precisando a intervenção de um técnico de informática (veja bem só alguns) pensando nisso resolvi postar esse material que encontrei no fórum do sogratis (nos fórum você pode encontrar praticamente tudo) e que pode ser de grande ajuda para quem está tendo ou já teve problemas com o micro então leia e guarde pois você poderá precisar algum dia.
Problema mais freqüentes em PC e suas soluções:
1. Fonte.
Danos:
Instabilidades nas tensões de saídas afetando completamente o micro geralmente fruto de falha em seus componentes, instabilidade na tensão de entrada (rede elétrica) ou potência inadequada aos componentes do micro. Gera falha na inicialização (micro não liga ou liga e desliga) ou desligamentos aleatórios.
Possível solução:
A primeira coisa a se fazer é verificar a rede elétrica onde o micro está conectado para isso contrate um profissional qualificado, providenciar um aterramento para esta tomada, uso de nobreaks ou estabilizadores de qualidade (núcleo isolado) e evitar filtros de linha. Próximo passo é a troca da fonte do micro e verificar de sua potência se enquadra aos componentes do seu micro.

2. Aquecimento.
Danos:
Resets, desligamentos e travamentos aleatórios, erros na execução do Sistema Operacional (tela azul etc) além do risco de perda do processador (queima).
Possível solução:
Dispor os cabos flats e de energia de uma forma que fique um espaço livre para a movimentação do ar no interior do gabinete. Troca da pasta térmica do processador de tempos em tempos e checagem da ventoinha do cooler e, se for o caso, trocando-o por um de melhor dissipação térmica. Instalação de coolers adicionais no gabinete para uma melhor movimentação do ar interno.
Para monitorar a temperatura do processador você poderá utilizar o próprio Setup para isto ou softwares via Windows como o SpeedFan ou Everest. Neste site você encontrará a temperatura máxima suportada por cada processador.

3. Memória.
Danos:
Resets aleatórios, erros durante a execução do SO, bips contínuos quando o micro não "liga".
Possível solução:
Quando o micro não liga e fica com bips contínuos poderá ser defeito no módulo de memória e neste caso somente a troca e testes com outro. Caso o micro inicie, utilize
o MEMTEST ou o Pc-Check para verificar se existem erros nos endereços da memória, se houver será necessário também a troca.

4. Hard Disk. ( o famoso disco rígido, HD ou winchester)
Danos:
Perda de dados e no meu ver a pior de todas as catástrofes.
Possível solução:
Quando começam a ocorrer bad blocks no HD é necessária uma análise do que poderá estar ocasionando isto, variações bruscas na tensão de entrada na fonte, falha no sistema de arquivos do HD (muitos resets ou falha no processo de gravação) ou defeito do próprio HD. Neste caso se os bad blocks forem lógicos é possível "corrigí-los" efetuando um LOW LEVEL FORMAT e consequentemente um nova instalação. Existem softwares que recuperam (ou pelo menos tentam) dados em áreas defeituosas como o HD REGENERATOR. Caso o o bad seja físico não existe possibilidade de recuperação do cluster apenas um modo de driblar isto mas é arriscado, é necessário saber em que ponto estão os bads e, com softwares adequados para isto, isolar esta área criando alí uma partição extendida e utilizando o restante do HD como partição lógica ativa. Quando o defeito é no motor ou agulha de leitura para um usuário final não existem mais meios somente recorrendo a empresas de recuperação de dados.
Uma dica, fique de olho nos parâmetros do SMART para saber como anda a saúde do seu HD!

5. Placas de vídeo
Danos:
Travamentos (principalmente quando executados jogos), riscos na tela ou, quando o micro não inicia, bips 3 curtos seguido de um espaço de tempo ou 1 longo seguido de 3 curtos são frutos de falha na placa de vídeo. Devido a sua grande integração com o software (somente funciona de estiver rodando num SO) é dificíl de detectar a conseqüência de seu defeito somente após muita análise.
Possível solução:
Testes com outra placa de vídeo ou substituição direta. É recomendado testá-la em outro micro pois o defeito poderá ser no slot de conexão da placa-mãe.
Aconselha-se manter sempre atualizado os drivers de sua placa de vídeo e chipset juntamente com o DirectX.

6. Processador.
Danos:
Micro não liga, "congela" após algum tempo ou reinicia. Erros de instrução são comuns também.
Possível solução: Neste caso somente efetuando a troca do processador. Um software interessante para se testar o processador é o SuperPI.

7. BIOS
Danos:
Falha na identificação do modelo do processador, erros diversos que são corrigidos pelos
fabricantes de placas mãe.
Possível solução:
Atualização do BIOS. Se o defeito for no chip poderá ser feita a troca do mesmo.

8. Placa mãe.
Danos:
Na maioria das vezes o micro não liga ou se já foi testada todas as peças e nada do defeito aparecer.
Possível solução:
Existe possibilidade de recuperação para placas mãe com falha em seus
componentes como capacitores, resistores smd, troca soquete da bateria, circuito RAM cmos e real time clock (geramente relacionado a baterias que não seguram carga), recuperação de trilhas etc... e somente deverá ser feito por um técnico em hardware e/ou eletrônica especializado.
Um fato interessante sobre placas mãe é que algumas delas acumulam carga em seus componentes (capacitores eletrolíticos) e do nada "morrem", algumas chegam a acionar os coolers mas nada de ligar. Uma possível solução é o " curto de hardman" onde a placa é enrolada em papel alumínio por completo para descarregar totalmente e depois, na maioria dos casos, volta a funcionar. É claro isto só é feito em último caso onde todos os outros recursos já se esgotaram.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Problema da pirataria no Brasil está no cidadão, diz advogada

Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) surpreendem ao comprovar que a China cada vez mais reconhece a importância do combate à pirataria, antes que seja tragada por seus próprios atos, contrariando a convenção de que os chineses são os campeões da pirataria no mundo.

Segundo o instituto, a China é o oitavo país no mundo que mais protege seus produtos por meio de patentes, ficando atrás da Alemanha, França, Suíça, Itália e da Coréia do Sul. "Esses últimos, também resistentes quando se trata dos direitos imateriais alheios, não poupam esforços em ver seus inventos protegidos. Mas vemos um disparate nas atitudes, onde todos seguem a política de: não respeito o seu direito, contudo, quero que respeite o meu’", afirma Maria Isabel Montañés, advogada e diretora da Cone Sul, empresa brasileira de assessoria em propriedade industrial e Intelectual.

Segundo ela, o Brasil, que também já foi penalizado pelo descaso aos direitos da propriedade intelectual, sofreu a retaliação econômica da OMC - Organização Mundial do Comércio e hoje é referência no combate à pirataria. “Os brasileiros têm a falsa impressão que o governo nada faz. Ledo engano, faz e muito. Contudo, o problema da pirataria no Brasil não está na lacuna da lei, ou na repressão e, sim, na cultura do próprio cidadão que não respeita e valoriza a lei vigente", ressalta Maria Isabel .

A advogada explica que, se um ato é contra a lei, ao invés de não fazê-lo, o cidadão estuda formas para descaracterizar o crime e busca meios fraudulentos para se eximir da culpa. "As autoridades brasileiras buscam formas de dizimar a pirataria no país, a exemplo do portal do Ministério da Justiça, que disponibiliza um link para que o cidadão comum, sem perigo de ser identificado, possa denunciar quem pratica a pirataria de qualquer tipo de produto, serviço e outros", defende. “Trata-se de um serviço valioso, onde o Ministério Público conta com o auxilio dos cidadãos brasileiros para que a pirataria seja erradicada definitivamente no Brasil”, finaliza Maria Isabel.


Fonte: http://voit.uol.com.br/?p=interna&id=3871

sexta-feira, 12 de março de 2010

Trabalhe em modo XP no Windows 7

Trabalhe em modo XP no Windows 7

Trabalhe em modo XP no Windows 7


É possível apelar para a máquina virtual com o XP SP3 para usar programas que não rodam no Windows 7


O Windows 7 tem boa compatibilidade com os programas atuais, mas não roda diretamente os que também não rodam no Vista. Para contornar essa limitação, a Microsoft criou o modo Windows XP. Trata-se de uma máquina virtual prontinha para rodar o XP no Windows 7. É preciso fazer o download do Virtual PC e do XP Mode, que é basicamente uma máquina virtual com o Windows XP SP3. Esse recurso está disponível para o Release Candidate do Windows 7. Mas vale lembrar que, na versão final do sistema operacional, só quem comprar as edições Ultimate, Professional e Enterprise contará com o recurso.

Aqui link para baixar o XP MOde e Microsoft virtual PC: http://www.microsoft.com/brasil/windows/virtual-pc/download.aspx

Fonte: http://info.abril.com.br/dicas/windows/windows-7/trabalhe-em-modo-xp-no-windows-7.shtml

Instale o antivírus gratuito da Microsoft.

MICROSOFT SECURITY ESSENTIALS



Desde o dia em que foi lançado a versão beta do Microsoft Security Essentials que uso em todos os meus computadores. E agora que é está disponível para todos os utilizadores e melhor que nunca, não podia deixar de instalar a última versão. Nestes últimos anos já usei varios anti-vírus, como o AVG Free, NOD 32 e o Kaspersky, e para mim o melhor é o Microsoft Security Essentials apenas porque é leve, simples de usar, gratuito e funciona mesmo!

8 Dicas para tornar o Windows 7 ainda mais rápido

Dica 1 – Altera os efeitos visuais

1. Clica com o botão direito do rato em cima do ícone Computer e depois clica em Properties.
2. Na nova janela que abriu, clica em Advanced system settings.
3. Clica em Settings, da caixa Performance.
4. Escolhe Adjust for best performance, e depois selecciona um a um as opções que queres usar no teu computador.

Dica 2 – Usa uma cor sólida em vez de um Wallpaper

Usando uma cor sólida em vez de um Wallpaper, vai aumentar a performance, porque já não tem que carregar uma imagem, sempre que inicia o Windows 7.
1. Clica com o botão direito do rato no ambiente de trabalho e depois clica em Personalize.
2. Clica sobre o texto Desktop Background.
3. Na caixa de selecção Picture Location, escolhe Solid Colors. Depois selecciona a cor que queres usar para fundo do teu ambiente de trabalho.

Dica 3 – Não guardes a lista dos programas e ficheiros usados recentemente

1. Clica com o botão direito do rato na barra de ferramentas e depois clica em Properties.
2. Clica na aba Start Menu e desactiva as opções de privacidade.

Dica 4 – Optimiza a configuração do sistema

1. No campo de pesquisa do menu iniciar, introduz: msconfig
2. Na aba Boot, verifica se o Windows 7 está seleccionado.
3. Clica no botão Advanced options… marca a opção Number of processors e selecciona o número máximo de processadores que aparece.
4. Marca a opção No GUI boot. (não feches a janela Sustem Configuration porque vai ser necessário para o passo seguinte)

Dica 5 – Escolhe os programas que iniciam, sempre que ligares o computador

1. Se ainda não tens a janela System Configuration aberta, no campo de pesquisa do menu iniciar, introduz: msconfig
2. Na aba Startup desmarca os programas que não queres que inicie.
ATENÇÃO: Não desactives o anti-vírus, firewall,etc.

Dica 6 – Desactiva funcionalidades do Windows

1. No menu iniciar clica em Control Panel.
2. Clica em Programs.
3. Clica em Turn Windows features on or off.
4. Desmarca as funcionalidades que não queres/uses (por ex. Tablet PC Components, Windows Gadget Platform).

Dica 7 – Desactiva os sons do Windows

Estás farto de ouvir os sons do Windows quando abres inicias o computador, abres programas? Esta dica desactiva os sons do Windows.
1. No menu iniciar clica em Control Panel.
2. Clica em Hardware and Sound.
3. Clica em Change system sounds.
4. Em Sound Scheme escolhe No Sounds.

Dica 8 – Não mostrar o tamanho da pasta, sempre que passas o rato por cima

1. Abre o explorador do windows.
2. Clica no Organize, para mostrar o menu. E depois clica em Folder and Search options.
3. Vai para a aba View. Desactiva a opção: Display file size information in folder tips



Windows 7 – O Windows mais rápido que existe?

Muitos dos aprimoramentos do Windows 7 são coisas que você nunca verá, porque elas acontecem debaixo do capô. MSN mostra a você como o Windows 7 tira o máximo possível do seu hardware.

Requisitos mínimos do sistema
Para se poder utilizar a última versão de Windows, o seu computador vai precisar dos seguintes requisitos mínimos do sistema:
• Processador: 1 Gigahertz (GHz) ou mais rápido
• 1 Gigabyte (GB) RAM
• 16 GB de espaço livre no disco rígido
• A placa gráfica deve ser capaz de suportar pelo menos DirectX 9
Se você não tem certeza se o seu sistema pode usar o Windows 7, você pode usar o Upgrade Advisor da Microsoft para verificar. Vá até http://windows.microsoft.com/upgradeadvisor.
O sistema operacional (SO) é o coração e o cérebro de um computador, e assim sendo muita coisa depende de sua qualidade. Um bom PC deve iniciar imediatamente, desligar rapidamente, ser estável, reagir sem demora e, se ele for bonitinho, isso também ajuda. Resumindo, você esperaria que ele trabalhasse perfeitamente sempre que o computador fosse ligado.
Windows 7 foi aprimorado para três questões principais: velocidade, confiabilidade e agilidade – e esperamos que você concorde que a revisão foi bem-sucedida.

A primeira coisa que você nota é o aprimoramento na velocidade. Instalar Windows 7 pela primeira vez não vai levar mais do que 30 minutos do seu tempo. E você não vai esperar mais do que 30 segundos desde ligar o seu computador até as boas-vindas da Área de Trabalho do Windows. Na verdade, é tão rápido quanto desligar.
Requisitos mínimos do sistema
Ponha o seu computador em modo de Gerenciamento de Energia e o desempenho é ainda mais rápido. A última geração de DirectX é a mais robusta já feita e é capaz de fazer gráficos em 3D fantásticos. O Windows 7 também suporta o ultimo Solid State Discs, e os trata separadamente, ao contrário de discos rígidos tradicionais, fazendo a vida útil deles mais longa e o desempenho mais rápido. E, com o hardware apropriado, a versão 64-bit do Windows 7 pode também utilizar mais RAM.
Windows 7 também é super confiável e requer um esforço considerável para ser desequilibrado. Quando você instala um aparelho novo, Windows irá verificar a confiabilidade do programa e discos. Mesmo programas novos devem provar para Windows que vão rodar confiavelmente antes de Windows permitir que sejam instalados.
O modo como o Windows 7 utiliza memória é muito mais eficiente do que em versões anteriores, e isso também melhora imensamente a velocidade e a confiabilidade do sistema.
A nova interface também é mais ágil e oferece uma experiência mais eficaz do que no passado. Quer você esteja pulando de janela para janela, usando um programa grande no fundo, ou mesmo brincando com o mais recente jogo em 3D enquanto o seu e-mail é verificado para correspondência, o Windows 7 faz tudo isso sem problema e sem nem parar para beber água.

Fonte: http://events.br.msn.com/Windows-7/artigo.aspx?cp-documentid=1101347

Linux inaugura loja de acessórios online



Quinta, 11 de março de 2010



A Linux Foundation inaugurou a Linux.com Store (store.linux.com), uma loja online onde os fãs do sistema operacional do Pinguim poderão encontrar uma ampla variedade de camisetas, canecas, adesivos e acessórios.
Toda a renda obtida com a venda dos produtos será utilizada pela Linux Foundation em uma variedade de projetos, que vão do patrocínio a eventos e desenvolvedores à manutenção da estrutura necessária para o desenvolvimento de iniciativas como o sistema operacional Meego.
Para marcar a inauguração, a loja está realizando um concurso de estampas para camisetas. Os cinco finalistas serão votados pelos internautas, e o vencedor ganhará uma viagem à Boston, nos EUA, para participar da LinuxCon 2010 em Agosto.
Interessados em participar devem enviar suas ilustrações, com resolução de até 600 × 800 pixels e tamanho máximo de 1 MB, até o dia 11 de Abril.

Geek

IE8 é o navegador mais eficiente contra malwares

O segundo navegador mais seguro foi o Safari 4, bloqueando 29% dos links, poucos décimos acima do Firefox 3.5. Em terceiro ficou o Chrome 4, com 17%. Segundo os testes, o navegador Opera não bloqueia nem 1% dos links e downloads maliciosos provocados pela chamada "engenharia social".
Um estudo realizado pela empresa de segurança Nsslabs chegou à conclusão de que a função "smartscreen", do Internet Explorer 8, é capaz de bloquear 85% dos downloads de malware, superando em 4% o teste realizado no trimestre anterior.

O segundo navegador mais seguro foi o Safari 4, bloqueando 29% dos links, poucos décimos acima do Firefox 3.5. Em terceiro ficou o Chrome 4, com 17%. Segundo os testes, o navegador Opera não bloqueia nem 1% dos links e downloads maliciosos provocados pela chamada "engenharia social".
A Microsoft afirma que o filtro bloqueou desde março de 2009 mais de 560 milhões de tentativas de baixar malwares, cerca de 3 milhões por dia. Os servidores do centro de dados que medem a periculosidade dos endereços da web para o Smartcreen processaram cerca de 250 milhões de URLs. Esse filtro mostrou sua eficácia em vários testes de segurança realizados.
O filtro SmartScreen do Internet Explorer 8 permite prevenir ataques de Phishing e malware, identificando páginas da web que distribuem software malicioso e advertindo o usuário com uma mensagem antes que se faça download de qualquer conteúdo dessa página. Esse serviço funciona antes mesmo que os antivírus e anti-malwares tenham capacidade de bloquear.
Trata-se de um sistema que não funciona apenas na hora de visualizar uma página com um link suspeito, mas também para links de download, bloqueando um processo de cópia do arquivo para o computador. Desta forma, se o usuário iniciar um download de forma acidental ou mediante trapaças comuns como "veja as fotos da festa", o navegador bloqueia o download, mostrando uma advertência.



Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI4309767-EI4805,00-IE+e+o+navegador+mais+eficiente+contra+malwares.html

quarta-feira, 10 de março de 2010

Configurando conta do Gmail no Outlook

Aprenda a configurar a sua conta de email do Gmail no seu leitor de emails Outlook Express de uma maneira rápida e prática. Com o guia abaixo em apenas 2 minutos você já poderá estar usando o Outlook Express para criar, enviar e receber seus emails do Gmail sem problemas.





Primeiro precisamos ativar o acesso POP (é a maneira que iremos acessar a conta) do Gmail no Outlook Express.

01 – Entre no Gmail (www.gmail.com)


02 – Dentro do Gmail entre em Configurações


03 – Clique em Encaminhamento e POP/IMAP



04 – Na opção Baixar pelo POP: selecione Ativar POP para todos os emails (mesmos os que já foram baixados)


05 – E clique em Salvar alterações


Abra o Outlook Express

06 – Dentro do Outlook Express, vá em Ferramentas e em Contas…


07 – Clique em Adicionar e em Email…


08 – Coloque o seu nome (não precisa ser igual ao seu email, é como você será conhecido) e clique em Avançar


09 – Coloque o seu email completo e clique em Avançar


10 – Preencha

No campo Servidor de entrada de emails (POP3, IMAP ou HTTP), preencha pop.gmail.com
No campo Servidor de saida de emails (SMTP), preencha com smtp.gmail.com
E clique em Avançar



11 – Na tela Logon no Internet Mail

Preencha o campo Nome da conta com o seu email completo
Preencha o campo Senha com a senha de acesso ao email. Aproveite e selecione o campo Lembrar senha
E clique em Avançar




12 – Clique em Concluir. Já estamos quase no fim


13 – Selecione a conta criada (pop.gmail.com) e clique em Propriedades



14 – Na aba Servidores, selecione a caixa de seleção Meu servidor requer autenticação. Clique na aba Avançado


15 – Na aba Avançado:

Selecione as 2 caixas de seleção Este servidor requer uma conexão de segurança (SSL)
Na caixa Emails de saida (SMTP) preencha com 465
Na caixa Emails de entrada (POP3) preencha com 995
E clique em OK



16 – Feche a caixa Contas na Internet



17 – E já podemos enviar e receber mensagens do Gmail pelo Outlook Express


Lembrando que estamos ativando o acesso POP, com isso só iremos baixar as mensagens da pasta Entrada do Gmail. Para baixarmos todas as pastas precisamos nos conectar ao Outlook Express com o protocolo IMAP.




domingo, 7 de março de 2010

Descubra o computador ideal para cada tipo de usuário





Descubra o computador ideal para cada tipo de usuário

Saiba o que levar em consideração na hora de comprar uma nova máquina


Qual o computador ideal? Se a resposta não começar por “depende para quê”, a chance de errar é grande. Assim como os usuários, as máquinas têm perfis diferentes. E para quem vai comprar o primeiro micro, ou pretende trocar o velho PC de alguns anos, ter consciência de para qual finalidade vai usar o equipamento é o primeiro passo.

– É fundamental saber o que se pretende fazer com a máquina, qual a utilidade dela – explica o professor de pós-graduação e governança do Senac Informática de Porto Alegre Ery Jardim.

Quem usa o PC apenas para acessar e-mails e digitar textos, por exemplo, não precisa de um hardware muito avançado. Em outras palavras, as configurações de disco rígido, memória, processador e placa de vídeo não precisam ser tão altas.

Mas se você gosta de games sofisticados, deve investir mais. Foi o que fez analista de sistemas Rafael Fanti, 30 anos, de Porto Alegre, que desembolsou R$ 3,5 mil no computador. Desde a compra, há três anos, Fanti já mexeu na máquina.

– Fiz um upgrade, ao poucos, porque o computador já estava defasado para games. Primeiro, substitui a placa de vídeo e a fonte. No ano passado, troquei processador, placa-mãe e memórias. O HD, mudei para um maior no início deste ano – revela Fanti.

Outros usuários podem levar mais tempo para sentir necessidade de atualizar sua máquina. Por exemplo, alguém que comprou um micro com configuração simples, apenas para ler e-mails e escrever textos, e mantém esse perfil de uso, poderá permanecer com o mesmo computador por anos.

– Se os hábitos não mudam frequentemente, o computador dura muito tempo – avalia Jardim.

Mesmo assim, há uma configuração mínima que varia de tempos em tempos. Segundo o professor da Faculdade de Informática da Pontifícia Universidade Católica (PUCRS) Júlio Machado, computadores com menos de 2 GB de memória RAM não valem mais a pena ser comprados.

Veja configurações sugeridas para três perfis distintos de usuário.

O micro para o seu perfil

Veja configurações sugeridas para três tipos de consumidores, de acordo com as atividades que mais realizam no computador:

Básico

Para quem usa: e-mail, redes sociais, messengers e redação de textos

• Processador: 1 GHz
• Disco rígido (HD):160 GB
• Memória RAM: 2 GB
• Placa de vídeo: até 8 MB (onboard)
• Tempo estimado para troca: um a dois anos
• Custo: cerca de R$ 700*

Intermediário

Para quem usa: acesso a redes sociais, vídeos online, downloads, planilhas, textos e apresentações

• Processador: 1,5 GHz a 2,0 GHz (dual core)
• Disco rígido (HD): 250 GB a 320 GB
• Memória RAM: 3 GB a 4 GB
• Placa de vídeo: 128 MB a 256 MB (offboard)
• Tempo estimado para troca: dois a três anos
• Custo: cerca de R$ 900*

Avançado

Para quem usa: games, vídeos e downloads

• Processador: 2,6 GHz (Quad Core)
• Disco rígido (HD): 500 GB
• Memória RAM: 4 GB
• Placa de vídeo: 512 MB (offboard)
• Tempo estimado para troca: até quatro anos
• Custo: entre R$ 1,4 mil e R$ 2,1 mil*

* Os preços são uma média do custo dos gabinetes de computadores. Não estão incluídos sistema operacional, monitores e outros acessórios.

Fontes: Ery Jardim, professor de pós-graduação e governança de Informática do Senac/RS, e Júlio Machado, professor da Faculdade de Informática da Pontifícia Universidade Católica (PUCRS). As médias de preços foram fornecidas pelas lojas Compujob e Philden, em Porto Alegre.